Rede de Observatórios de Segurança

Rede de Observatórios de Segurança

Rede de Observatórios da Segurança tem lançamento no Rio de Janeiro

Apresentar um panorama de diferentes índices de violência a partir de dados coletados em cinco estados brasileiros (Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará, Pernambuco e Bahia) e contribuir para a construção de uma agenda propositiva para políticas de segurança pública no País. Estes são alguns dos objetivos da Rede de Observatórios da Segurança, iniciativa que tem apoio da Fundação Ford e será lançada nacionalmente no dia 28 de maio, às 9h30 da manhã, no auditório do Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro.

Convite para o lançamento da Rede de Observatórios da Segurança

Com metodologia inspirada na bem-sucedida experiência do Observatório da Intervenção, que monitorou as ações das Forças Armadas no Rio de Janeiro durante a intervenção federal em 2018, a Rede de Observatórios da Segurança vai acompanhar 16 indicadores de violência, ampliando o leque de dados trabalhados anteriormente.

Os indicadores abordados são: Feminicídio e violência contra mulher; Racismo e injúria racial; Violência contra LGBTQ+; Intolerância religiosa; Violência contra crianças e adolescentes; Linchamentos; Violência armada,; Ações e ataques de grupos criminais; Manifestação, greve e protesto; Violências, abusos e excessos por parte de agentes do Estado; Policiamento; Violência contra agentes do Estado; Corrupção policial; Chacinas; Sistema penitenciário  e Sistema socioeducativo.

“Depois da experiência do Observatório da Intervenção, ficou clara a importância de um monitoramento permanente de indicadores de segurança pública e criminalidade, que vá além dos dados oficiais”, avalia Silvia Ramos, coordenadora da Rede de Observatórios da Segurança e do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania  (CESeC). “Vamos contabilizar indicadores que não fazem parte das estatísticas governamentais e isso vai permitir o acompanhamento de políticas e estratégias de segurança em um contexto de endurecimento contra o crime e incentivo ao uso de armas. Achamos essencial oferecer informações para que a sociedade possa fazer escolhas’, finaliza.

A Rede é formada pelo CESeC e as organizações:  Iniciativa Negra por uma Nova Política de Drogas, da Bahia; Laboratório de Estudos da Violência (LEV), do Ceará; Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (Gajop), de Pernambuco; e Núcleo de Estudos da Violência (NEV/USP), de São Paulo.

 Dados sobre segurança pública e criminalidade dos cinco estados serão reunidos  pela Rede de Observatórios a partir de informações publicadas em jornais impressos e online, páginas e perfis de redes sociais e iniciativas parceiras como o Fogo Cruzado (no Rio de Janeiro e Recife). Além disso, as bases de dados e estatísticas oficiais também serão monitoradas e analisadas. A Rede de Observatórios vai ainda acompanhar  a evolução dos gastos públicos no setor nos estados e no país.

Outra dimensão do trabalho da  Rede de Observatórios é a criação de fóruns de discussão. As equipes dos cinco Observatórios convidarão parceiros para participar de redes temáticas em diferentes áreas: pesquisadores de segurança pública; ativistas de favelas e periferias; ONGs e movimentos sociais; movimento negro; movimento LGBT; mandatos de parlamentares; Judiciário e Ministério Público; tecnologia e transparência; e comunicação.

A partir destes dados e análises de especialistas, a Rede de Observatórios pretende produzir balanços, relatórios e proposições, além de vídeos e produtos de comunicação que informem diretamente o público, jornalistas e instituições, com o objetivo de incentivar um debate amplo sobre políticas de segurança.  Seminários, debates e conferências também estão na lista de ações que serão promovidas pela Rede de Observatórios.

Premium WordPress Themes Download
Download Premium WordPress Themes Free
Free Download WordPress Themes
Download Nulled WordPress Themes
udemy paid course free download
download samsung firmware
Download Premium WordPress Themes Free
free download udemy course

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *